Dieta Paleolítica

Dieta Paleolítica

A dieta paleolítica, ou simplesmente “paleo”, pode sim trazer benefícios, pois segue alguns princípios muitos interessantes:
1. Não ingerir alimentos industrializados: aditivos químicos inflamam o organismo, aumentam incidência de doenças crônicas, desequilíbrios metabólicos, aumento de gordura corporal, câncer e envelhecimento precoce;
2. Não ingerir carboidratos refinados: esse tipo de alimento gera picos glicêmicos que estimulam excessivamente a liberação de insulina, levando a aumento de incidência de diabetes, obesidade e risco cardiovascular;
3. Aumentar o consumo de gorduras boas e proteínas: ingerir menos carboidratos e mais gorduras boas e proteínas favorece saciedade, controle de compulsão, reduz resposta de aumento de insulina e melhora controle de peso;
4. Ingerir mais alimentos in natura: a ingestão de frutas e hortaliças in natura traz inúmeros benefícios para o organismo e fornece nutrientes essenciais para a manutenção da saúde, além de equilibrar a microbiota intestinal.
Os cereais e leguminosas (e em alguns casos, laticínios) também ficam de fora. Já não vejo necessidade, para a maioria dos indivíduos, de fazer essa restrição. Alimentos como aveia, quinoa, feijão, grão de bico e iogurte natural são excelentes fontes de nutrientes e podem fazer parte de uma dieta equilibrada.
Mas vale, lembrar que, independentemente do nome (paleo ou não), todos esses aspectos nada mais são que princípios básicos de uma alimentação saudável e funcional. E mais, é preciso equilibrar o plano alimentar de acordo com as necessidades individuais. Portanto, é fundamental seguir as orientações de um nutricionista competente para garantir uma alimentação balanceada!

Deixe uma resposta

Fechar Menu