Farinha de arroz é sem glúten, mas também é FARINHA! É refinada, não tem fibras, perde muitos nutrientes no processamento e fornece grande quantidade de carboidratos simples. Por isso, seu consumo eleva a glicemia, aumenta liberação de insulina, e o excesso pode ser prejudicial e levar a resistência a insulina. O excesso de insulina, por sua vez, aumenta inflamação sistêmica e pode levar ao aparecimento de doenças crônicas como diabetes, hipertensão, obesidade e doenças cardiovasculares. Portanto, não adianta tirar o glúten com o intuito de reduzir inflamação, e substituir o trigo por uma outra farinha refinada.

A farinha de arroz é uma boa alternativa para fazer preparações sem glúten para quem é intolerante, pois permite que indivíduos celíacos, por exemplo, possam eventualmente consumir produtos com características sensoriais semelhantes às versões com glúten. Mas isso não signfica que seja saudável!
É pior que comer arroz branco, na minha opinião.
Prefira sempre comida de verdade! Se for para comer arroz, então coma arroz integral com feijão, e deixe a farinha de arroz (ou até a de trigo) para eventualidades.