Temperaturas mais baixas são capazes de aumentar o metabolismo, pois estimulam o corpo a converter o tecido adiposo branco (comum) em tecido adiposo marrom (ou bege), que tem a principal função de queimar gordura para produzir calor e aquecer o corpo. Estudos mostram que reduções modestas de temperatura, para 16-19 graus, levam a um aumento de cerca de 6% no gasto energético. Outro efeito benéfico do aumento de tecido adiposo bege é melhora na resistência a insulina e controle glicêmico, o que resulta também em melhor resposta de perda de gordura corporal e prevenção de doenças metabólicas, como diabetes e obesidade.