A primeira coisa que precisamos entender é que, quanto maior a intensidade de um exercício, mais difícil é para o seu corpo usar gordura como fonte de energia. Queimar gordura é um processo demorado e que precisa de oxigênio, e em exercícios muito intensos o corpo não consegue mobilizar gordura tão facilmente, utilizando predominantemente outras fontes de energia. Portanto, exercícios moderados usam proporcionalmente mais gordura como fonte de energia que exercícios intensos.
A grande questão é que o efeito do exercício não é causado apenas pelo momento da prática em si, mas por todas as adaptações geradas por aquele estímulo. Primeiramente, quanto mais intenso é o exercício, mais tempo você levará para se recuperar dele, e esse processo gasta muita energia. Só que nesse momento você não está mais praticando o exercício e seu corpo consegue, portanto, queimar gordura com facilidade. Outro aspecto importante é que o stress gerado por um exercício mais intenso estimula várias adaptações que, com o tempo, tornam seu organismo mais eficiente em usar gordura como combustível, não só durante exercícios, mas o tempo todo, para manter o metabolismo funcionando. Portanto, em um treino intenso, a queima de gordura pode ser menor durante, mas será muito maior depois, durante seu descanso.
É importante considerar também o tipo de treino. Já vimos que treinos mais intensos são mais eficientes, mesmo que também sejam aeróbicos. Mas treinos de força (musculação, por exemplo), desde que feitos de forma intensa, são ainda mais eficientes em otimizar a queima de gordura. Isso porque, além de todo esse processo de adaptação que ocorre em treinos intensos, a musculação ainda estimula o aumento de massa muscular. E quanto mais músculos, maior será a queima de gordura ao longo do dia todo. Portanto, o benefício dos treinos de força é tanto a curto como a longo prazo, proporcionando um resultado muito mais eficiente quando colocamos na balança o efeito do exercício como um todo, e não apenas durante sua realização.
Que tal repensar sua rotina de treino e começar a praticar mais musculação? Mas lembre-se: nunca faça exercícios sem a devida orientação de um educador físico!