De longe, a pergunta mais comum para quem resolve parar de comer carne. E aí, nutri, dá pra alcançar as necessidades de proteínas da dieta?
Sim, claro que dá!
O nosso organismo tem uma demanda diária de proteína que obviamente precisa ser suprida pela dieta. Mas isso pode ser alcançado facilmente por uma dieta simples e equilibrada, contendo fontes proteicas vindas de leguminosas, sementes, castanhas, vegetais e cereais. “Mas nutri, eu li que dietas com mais proteína podem ser boas em muitos aspectos!”. Sim, verdade. Aumentar um pouco a ingestão de proteínas pode estimular saciedade, favorecer emagrecimento, auxiliar no ganho de massa muscular. Mas isso não significa que uma dieta com um teor mais baixo de proteínas também não possa favorecer tudo isso, desde que as proteínas estejam em quantidades ADEQUADAS, e a dieta seja mais rica em vegetais e fontes de gordura, por exemplo. Além disso, nosso organismo é muito eficiente e evoluído. Se a quantidade de proteína é menor, mas supre a demanda mínima, o corpo poupa proteína para usar para o que for mais importante. “Ok, última pergunta: preciso sempre combinar cereais e leguminosas na mesma refeição?” Não necessariamente. É bom que a alimentação tenha mais de uma fonte proteica, o que é perfeitamente possível, desde que sua dieta não consista unicamente de pão com geleia e macarrão com extrato de tomate (sim, acontece). Precisamos variar as fontes para garantir que todos os aminoácidos estejam presentes em quantidades adequadas. Mas as fontes diferentes não precisam estar necessariamente combinadas na mesma refeição. A variedade ao longo do dia (e ao longo da semana) já supre a necessidade de aminoácidos. Temos um pequeno estoque de aminoácidos livres circulantes, que vai sendo alimentado e equilibrado ao longo do dia. Então sim, você pode comer aveia de manhã e feijão à noite, e a combinação de cereais e leguminosas ainda está valendo.